Função da Instituição no Desenvolvimento Infantil

Continuando a série sobre o conteúdo do livro ‘O desenvolvimento infantil de 0 a 6 anos e a Vida pre escolar” do autor Wagner Luiz Garcia Teodoro (…) hoje vamos falar sobre a Função da Instituição no Desenvolvimento Infantil. Sim, a escola tem uma função importantíssima no desenvolvimento das crianças, e com esse conteúdo você poderá acompanhar o seus filhos(as) no decorrer das atividades escolares.

Sabe-se que é grande o número de crianças que frequentam instituições de educação infantil. Sabe-se também que essas instituições não servem apenas para abrigar crianças. Então, resta a pergunta: O que se espera da instituição, como forma de contribuição ao desenvolvimento infantil?

A criança, principalmente nos primeiros meses de vida, encontra-se numa situação muito dependente. A falta de coordenação motora, o aspecto cognitivo ainda em desenvolvimento, por estar associado a um cérebro em formação, e a falta de compreensão das relações afetivas são alguns dos fatores que levam à necessidade da participação de um adulto nessa fase inicial.

Neste momento os hábitos de higiene e de alimentação ainda estão sendo apresentados à criança; a troca de afetos ainda é muito restrita, estando sustentada pelas sensações corporais; e as relações sociais, que vão sendo apresentadas inicialmente pelo exemplo da vida em família, também são ainda primitivas. Sabe-se que os cuidados com a alimentação e a higiene são fundamentais para a saúde da criança e, geralmente, é este o aspecto que recebe mais atenção por parte de quem cuida.

opening-1

Mas, é preciso perceber que os cuidados com o corpo não suprem todas as necessidades da criança. O início da vida requer estímulos voltados para os aspectos cognitivos e emocionais para que a criança possa ir aprimorando sua capacidade de pensar, de se adaptar e se relacionar. Neste contexto, a qualidade do desenvolvimento afetivo é essencial e depende do tipo de relação que a criança vive com o mundo, que no momento é representado pela pessoa mais próxima, sendo geralmente a mãe ou alguma cuidadora.

Uma relação na qual a criança se sente desamparada, com frio ou fome, que provoca sofrimento e transmite a sensação de insegurança, pode contribuir para que a criança tenha uma vida afetiva complicada, podendo até desenvolver doenças orgânicas de fundo emocional. Ao contrário, uma relação que transmite segurança e conforto, tornando mais suportáveis as frustrações trazidas pela realidade, pode proporcionar uma facilidade para a criança se adaptar ao mundo, relacionando-se melhor consigo e com as outras pessoas. É muito importante a forma como é desempenhada a função materna, isto é, o jeito de cuidar, o carinho transmitido no cuidado físico (banhos, escavação de dentes e outros hábitos de higiene), a troca afetiva existente no momento da alimentação e a capacidade de transmitir a sensação de estar bem amparada. Todos estes são elementos do contato, que vão ajudando a integrar e estruturar a condição psicológica da criança.

No entanto, embora seja comprovada a importância dos cuidados maternos nesta fase do desenvolvimento, sabe-se que a vida atual provoca uma separação prematura entre as mães e as crianças, sendo que estas acabam passando boa parte do dia em instituições como creches, hoteizinhos e pré-escolas.

Fica então um questionamento: o que acontece com o tão importante desenvolvimento afetivo das crianças que passam o dia em instituições de educação infantil? Lembremos que a função materna, como o próprio nome diz, é uma função, podendo assim ser desempenhada por outras pessoas além da mãe. Estamos falando da função de proporcionar condições favoráveis ao desenvolvimento da criança em todas as áreas, principalmente a emocional, da capacidade de ajudar a criança a encontrar um significado para as coisas que sente e percebe em relação ao mundo.

Sendo assim, é possível que as educadoras consigam suprir em parte a falta da mãe, exercendo sua função temporariamente. Apesar da realidade mostrar que as instituições de educação infantil ainda têm muito o que aprimorar, os avanços da psicologia e da pedagogia nos levam a acreditar que, cada dia mais, estas instituições estarão preparadas para oferecer condições para que a criança se desenvolva bem e integralmente.

Condições estas, encontradas nos cuidados com a saúde física, nas práticas pedagógicas e, principalmente, nos cuidados com a saúde emocional, através de uma equipe bem preparada, que saiba valorizar a qualidade do contato com a criança.

Siga o nosso blog, teremos mais informações para toda a família.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s